Sábado, 16 de Junho de 2007

El Niño

Tema preocupante este, o do ambiente. se não fizermos nada, não haverá planeta Terra sustentável num futuro não muito longínquo.

Escrtevi este texto a pensar nisso mesmo

 

 

            Nestes dias de Verão (estávamos em Agosto, quando escrevi este texto, julgo que em 2002), enquanto que no “nosso Portugal” o calor invade as praias e sufoca locais onde ainda resta um pouco de mata para arder, noutros  as chuvas torrenciais provocaram já milhares de mortos, devido às inundações. Estranho, inundações no Verão? Pois é, “o tempo já não é o que era”, pois não?

            Com o aquecimento global do planeta, resultante em grande parte do chamado “efeito de estufa”, a distribuição das precipitações tornaram-se mais irregulares. A localizações dos Anticiclones  e das Depressões barométricas  tem sofrido alterações. O próprio Anticiclone dos Açores, que condiciona em grande parte o estado de tempo em Portugal, tem andado neste Verão um pouco mais afastado das coordenadas habituais, afectando o habitual Verão quente e seco, tipicamente mediterrâneo.

            Pensa-se que algumas das tragédias que têm acontecido ( inundações, períodos de secas contínuas, furacões, etc.), se devem a um fenómeno denominado "El Niño". O que é "El Niño" ?

"El Niño" passou a fazer parte do vocabulário corrente, a propósito da referência ao fenómeno responsável pelas condições climáticas anormais que se verificaram, há poucos anos atrás. Quem não se lembra da vaga de calor já nos  atingiu , secando rapidamente parte significativa dos solos do nosso país e comprometendo as colheitas? E das cheias que assolaram o país?

        No entanto, apesar da frequência com que o termo "El Niño" tem sido utilizado na comunicação social, o cidadão médio continua sem ter uma noção clara do fenómeno que se esconde nesta designação de origem castelhana, ou até de que modo o mesmo se pode reflectir nas nossas vidas.

        O fenómeno "El Niño"ou, em português, "O Menino" deve o seu nome à imaginação dos pescadores peruanos e à altura em que normalmente ocorre: a seguir ao Natal. Na comunidade científica utiliza-se a expressão "El Niño Southern Oscillation" ou "ENSO" para designar este fenómeno. Junto à costa do Peru existe uma corrente de água fria designada por corrente do Peru, com origem nos mares frios Antárcticos. Durante o "El Niño" esta corrente enfraquece e a temperatura da água junto à costa peruana sobe significativamente. Nessas alturas, os pescadores sabem que maus tempos se avizinham. A sua principal fonte de rendimento - a pesca da anchova - diminui consideravelmente, as aves marinhas morrem de fome e o clima altera-se, ocorrendo grandes precipitações e cheias.

        Para entender como é que estas alterações no quotidiano dos peruanos podem reflectir-se um pouco por todo o mundo é necessário compreender as suas causas e os seus efeitos. Quando assistimos ao Boletim Meteorológico na TV damo-nos conta da existência na atmosfera de regiões de altas e de baixas pressões. A existência destas diferenças de pressão é responsável pelos ventos e pelas chuvas. A sua localização é variável, mas sabe-se que existem regiões no planeta onde predominam umas ou outras. Alterações na sua localização induzem alterações nos regimes de ventos, na precipitação e nas correntes marítimas.

Na América do Sul, junto à costa do Peru, os ventos predominantes são os Alísios, que sopram de terra para o mar (os mesmos ventos de leste que ajudaram os antigos navegadores na travessia do Atlântico, em direcção à América). Por acção do vento a água do mar à superfície é empurrada para longe da costa e substituída por água do fundo, fria e rica em nutrientes que alimenta um plâncton abundante. Este serve de alimento a grandes quantidades de peixe, principalmente anchovas que, por sua vez, alimentam uma importante fauna de aves marinhas e são alvo de pesca. Os Alísios que sopram sobre o Peru dependem da existência de uma região de altas pressões situada sobre a América do Sul e de uma região de baixas pressões situada sobre a Indonésia e a Austrália. Durante o ENSO a diferença de pressão entre estas duas regiões enfraquece e a sua localização altera-se, ao ponto de os Alísios deixarem de soprar. Na sua ausência, a água do fundo deixa de aflorar à superfície e de alimentar o plâncton. Deste modo, os peixes e as aves morrem de fome e os pescadores passam tempos difíceis.

Esta alteração na distribuição da pressão atmosférica reflecte-se um pouco por toda a atmosfera. Junto ao Peru chove abundantemente pois os ventos sopram do mar trazendo muita humidade. Noutros locais do mundo ocorrem secas ou precipitações anormais. Deste modo, o despoletar do "El Niño" reflecte alterações na distribuição da pressão atmosférica que por sua vez provocam alterações na circulação global. Os ventos passam a soprar de direcções e com intensidades diferentes das habituais, podendo levar ar seco para regiões habitualmente húmidas e ar húmido para regiões habitualmente secas. As consequências do "El Niño" manifestam-se ao longo de vários meses até que o sistema Oceano - Atmosfera recupere o seu estado "normal".

        O "El Niño" ocorre com uma periodicidade variável (entre 3 e 8 anos) e faz-nos lembrar que, apesar de todos os avanços tecnológicos, a humanidade continua a depender fortemente dos caprichos da natureza. Quando assistimos às catástrofes naturais, provocadas por anomalias climáticas, como o "El Niño", não podemos deixar de pensar no que acontecerá como consequência das alterações climáticas, resultantes do efeito de estufa, e agravadas pela destruição das florestas tropicais.

Os primeiros relatos da existência do fenómeno chegam-nos do século XVI, quando os pescadores que navegavam frente às costas do Peru fizeram alusão ao aquecimento das águas e à sua influência sobre a descida das capturas na pesca e o clima local. Foram precisamente os pescadores peruanos que o baptizaram com este nome, há mais de um século, porque costuma registar-se por alturas do Natal, coincidindo com a chegada do Menino Jesus.

As suas consequências foram devastadoras: entre 3000 e 4000 mortos e cerca de 2400 milhões de contos em perdas até à data. A Austrália, por exemplo, vai contar com menos 254 milhões de contos na sua colheita de cereais; na Indonésia, a produção de café está reduzida a um terço...

As fortes chuvas caídas no Peru provocaram grandes perdas na indústria pesqueira. Além disto, a descida dos bancos de peixes repercutiu-se negativamente na produção de guano- excrementos de aves marinhas- com o qual se fabrica o nitrato do Chile.

Em Miami, , um tornado passeou-se entre os arranha-céus. Apesar do medo que varreu a população, acabou por não provocar feridos graves.

A aldeia de Ribeira Quente, nos Açores foi devastada por fortes chuvas. E  o mau tempo  que também chegou ao Alentejo?...

Mas, o fenómeno descrito tem uma irmã: chama-se La niña e traduz-se no arrefecimento em um ou dois graus das águas equatoriais do Pacífico, provocando alterações atmosféricas de menor importância como secas no Norte da América nos meses de Primavera e Verão.

A Península Ibérica não se livra da "menina": as intensas precipitações na zona sul nos Invernos de 1996 e 1997 coincidem com os episódios de La niña.

Todo o planeta está a ser afectado pelos efeitos do (s) fenómeno (s)...chuvas torrenciais e nevões no verão, fortes secas no Inverno... que louco e frágil planeta este!...

 

 

 

publicado por cerqueira-paulo às 09:49
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.arquivos

. Abril 2018

. Fevereiro 2018

. Dezembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Janeiro 2015

. Junho 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Junho 2012

. Agosto 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Agosto 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Janeiro 2008

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Novembro 2006

. Junho 2006

.posts recentes

. Sultans of Swing/Going Ho...

. Save The Planet!

. Temas fáceis para aprende...

. Novo tema (Approuching) -...

. Dobradinha e Triplete!

. Taça é festa?

. Que clima é este??

. E se for Sérgio Conceição...

. O próximo treinador do FC...

. Benfica...Hoje

.tags

. todas as tags

.web counter geography

web counter
web counter

.Clica aqui!

.counter

Online psychic
blogs SAPO

.subscrever feeds